Alimentação

27
dez

Alimentos proibidos na amamentação

Será que existe mesmo uma lista de alimentos proibidos na amamentação?

Na nossa cultura, acredita-se que vários alimentos nunca podem ser consumidos pela mãe que amamenta, porque causariam cólicas ao bebê. Porém, a boa notícia é que não existe comprovação científica de alimentos proibidos na amamentação. O que é passado para o leite materno é somente aquilo que passa para o sangue da mãe (como álcool, drogas e alguns medicamentos). – De fato, álcool e drogas são realmente contra indicados na amamentação. Já o uso de medicamentos, caso seja necessário, consulte as dicas que damos aqui. – Gases são produzidos no intestino, e por isso não passam da mãe para o bebê.

Na realidade, as cólicas e desconfortos abdominais que os bebês apresentam ocorrem devido à imaturidade gastrointestinal. Isso pode ser agravado pela pega incorreta ao seio, levando a uma ingestão excessiva de ar. Por isso é importante manter sempre a pega correta. O uso de mamadeiras e outros bicos artificiais também favorece o aumento dos gases.

Mas é claro que, se você perceber que um ou outro alimento causou maior desconforto ao bebê, o ideal é evitá-lo. O que recomendamos é que isso seja feito após experimentar. Não se prive de nenhum alimento antes de saber se fará mal ou não. É importante ressaltar que essas orientações valem para bebês que não tem alergia ou alguma intolerância alimentar. Nestes casos, procure ajuda de um nutricionista.

A maternidade já é uma fase que exige muita privação. Se privar de comer o que gosta, além de desnecessário, poderá trazer prejuízos emocionais para a mãe mais importantes do que benefícios para o bebê. Ao primeiro sinal de cólica, certamente colocarão a culpa em você e sua alimentação. Mas você não é culpada disso! Com o amadurecimento gastrointestinal as coisas tendem a melhor. Por isso, não abra mão do que gosta de comer. Sempre com bom senso, é claro!

20
nov

Alimentação durante a gravidez

Dicas para uma boa alimentação durante a gravidez!

É comum que as mães fiquem preocupadas com a alimentação durante a gravidez para que seu bebê se desenvolva de forma saudável. Além disso, existe a preocupação com o ganho de peso, não é verdade? Se formos parar pra pensar, a alimentação da gestante na verdade deve ser nada mais nada menos do que a ideal para todos. Vamos dar algumas dicas e vocês entenderão o porquê.

Procure ter uma alimentação equilibrada e bem diversificada, dando preferência aos alimentos de origem vegetal, naturais e integrais. Feijões, cereais, legumes, verduras, frutas, castanhas, leites, carnes e ovos, tornam a refeição balanceada e saborosa. Evite ao máximo alimentos processados e ultra processados (enlatados, embutidos, macarrão instantâneo, refrigerantes, sucos artificiais, biscoitos recheados etc). Isto favorecerá a formação e o desenvolvimento adequado e saudável do seu bebê, além de ser bom para sua própria saúde.

Ao consumir carnes, retire a pele e a gordura em excessos. Evite o consumo excessivo de carne vermelha, alterne com peixe, frango, ovo ou outras fontes de proteína mais magra.

Para preparar os alimentos, evite o uso de óleos, açúcar e sal em excesso. Utilize temperos caseiros, e não os industrializados que são ricos em sódio e por isso prejudiciais a saúde.  Leia sempre os rótulos dos alimentos e prefira aqueles livres de gordura trans.

Consuma diariamente frutas, verduras e legumes da época. Eles são ricos em vitaminas e minerais, possuem poucas calorias e ajudam na prevenção da obesidade e de doenças crônicas.

Faça três refeições principais durante o dia (café da manhã, almoço e jantar), e pelo menos duas menores entre elas. Evite ficar “beliscando” e coma devagar. As refeições deverão ser feitas na mesa, sem distratores como televisão por exemplo.

Para diminuir o risco de anemia, consuma diariamente alimentos ricos em ferro (carnes, miúdos, feijão, lentilha, grão-de-bico, soja, folhas verde-escuras, grãos integrais, castanhas). Junto com esses alimentos, consuma frutas que sejam fontes de vitamina C, como laranja, caju, limão, acerola e goiaba. Além disso, é recomendável a ingestão de ácido fólico durante toda a gestação, e sulfato ferroso durante a gestação até o terceiro mês depois do parto.

Seguindo estas recomendações, você conseguirá manter a alimentação durante a gravidez bem equilibrada, com o ganho de peso adequado e garantindo a formação e crescimento saudável de seu filho. Claro que as condições de saúde particulares de cada mãe e cada bebê devem ser consideradas. Por isso, converse melhor com seu médico a respeito disso. Estas dicas não substituem uma consulta com o profissional capacitado.