As fases de salto de desenvolvimento

Salto de desenvolvimento é uma fase específica em que ocorre aquisição de novas habilidades pelo bebê, como sorrir, engatinhar, dar tchau, sentar, etc. Ocorre em 4 aspectos: motor, controle motor fino, cognitivo e linguagem.

Os períodos que imediatamente antecedem um salto de desenvolvimento são marcados por uma insegurança por parte dos bebês. É comum que fiquem mais carentes e demandem mais colo e carinho. Podem ocorrer também mudanças no sono e no apetite. Isso acontece porque seus sistemas perceptivo e cognitivo mudaram, houve uma maturação neurológica, porém o bebê ainda não se adaptou a essas mudanças. Assim o mundo lhe parece estranho, e ele busca sua base de conforto e referência: a mamãe!

Ao finalizar a etapa de aquisição da nova habilidade, o bebê fica tão feliz que quer treiná-la o tempo todo. Mesmo quando estiver dormindo! Então nesse período as noites de sono podem não ser tão tranquilas como antes. Mas a rotina do sono tende a voltar ao normal após o domínio total da nova habilidade.

Por isso, é preciso ter um pouco mais de paciência e afeto com seu filho nessas fases. Ao final do processo de aquisição da nova habilidade, o bebê dá um salto de desenvolvimento. É preciso entender os sentimentos ambíguos que esse período trás. Ao mesmo tempo em que se sentem felizes e mais independentes com a nova habilidade adquirida, podendo até mesmo se distanciar um pouco da mãe, se sentem angustiados e confusos com a nova situação.

 

As Fases

Com pequena variação entre uma criança e outra, ocorre um salto de desenvolvimento em cada uma das seguintes idades:

  • 5 semanas (1 mês): É nessa época que o bebê sorri pela primeira vez, ou com mais frequência que antes, e começa a sair lágrimas no choro. A visão melhora, ele consegue ver padrões em branco e preto, passa a se interessar mais pelo ambiente ao redor e consegue seguir objetos brevemente com os olhos. Passa a ficar acordado um pouco mais, cerca de 1 hora, entre uma soneca e outra.
  • 8 semanas (quase 2 meses): começa a perceber melhor as diferenças nos sons, cheiros e sabores. Descobre que as mãozinhas e os pezinhos pertencem ao seu corpo, e começa a tentar controlar esses membros; assim como a emitir sons e experimentar sua voz. Nessa fase, o bebê começa a manifestar sua personalidade, os pais percebem quais coisas, cores e sons ele gosta mais. Ao final desse salto, o bebê vai virar a cabeça na direção de algo que lhe interesse e emitir sons conscientemente.
  • 12 semanas (quase 3 meses): nessa idade o bebê já consegue enxergar todo um cômodo da casa. Vira-se quando ouve um som alto, junta as mãozinhas, observa e brinca com o rosto e cabelo dos pais, descobre que pode gritar. No fim desse salto, ele praticamente não vai precisar mais de apoio para manter a cabeça erguida. Pode começar a reagir de forma estranha fora de casa ou no colo de um desconhecido, pois ao mesmo tempo que tem curiosidade de conhecer o mundo que o rodeia, está inseguro com as novidades e se sentem mais seguros no colo dos pais.
  • 19 semanas (4 meses e meio): esse salto de desenvolvimento geralmente é o mais demorado, dura entre 4 a 6 semanas. O bebê chora mais, parece mais impaciente, apresenta mudanças repentinas de humor e quer mais colo e atenção dos pais. Agora ele consegue alcançar um objeto próximo, passá-lo de uma mão pra outra, sacudi-lo e colocá-lo na boca. Começa a emitir sons mais nítidos, como “mama”, “baba”, “dada”. Dorme menos, estranha pessoas e busca mais contato corporal, principalmente durante a amamentação. Geralmente é nessa fase que nasce o primeiro dentinho. Ao final desse salto, o bebê consegue virar de costas e de barriga pra baixo e vice versa. Arrasta-se para frente e para trás, olha atentamente imagens de livros, reage ao ver seu reflexo no espelho e reconhece seu nome.
  • 26 semanas (6 meses): nessa fase, o bebê já consegue coordenador seus movimentos de braços e pernas com o resto do corpo e sentar sem apoio. Começa a entender os conceitos de dentro, fora, em cima, em baixo, atrás, na frente, e brinca com isso. Passa a entender que quando a mãe anda, irá se afastar, e isso gera insegurança. Por isso, nessa época, costuma chorar mais e buscar mais contato corporal durante as brincadeiras. Se vira para prestar atenção em vozes, imita alguns sons, rola para os dois lados, e começa a se apoiar para ficar de pé. Ao final deste salto de desenvolvimento, estará interessado em explorar a casa, abrir armários e gavetas, levantar tapetes etc. Já estará maduro para receber alimentos sólidos.
  • 30 semanas (7 meses): aprende a bater um objeto no outro e se joga para alcançar objetos. Pode começar a engatinhar, falar algumas sílabas, “dar tchau”. Sente-se ansioso na presença de estranhos.
  • 37 semanas (8 meses e meio): engatinha, aponta objetos, procura objetos escondidos, usa o polegar e dedo indicador para segurar objetos. Nessa fase, o bebê apresenta variações repentinas de humor. Chora com mais frequência, quer brincar o tempo todo e manifesta insatisfação quando não brincam. Não gosta que troquem sua fralda, chupa os dedos, reclama quando o contato corporal é interrompido. Diminui o apetite e o sono, fala e se movimenta menos. Agora entende categorização, ou seja, sabe separar o que é de comer, o que é brinquedo, o que é animal… Fala “mama” e “papa”, mas sem se referir a mamãe e papai.
  • 46 semanas (quase 11 meses): o bebê passa a perceber os sentidos das coisas e atitudes, por exemplo, que sapatos se colocam nos pés e brinquedos se guardam nos armários. Ganha então uma consciência de suas próprias atitudes. Ao invés de separar objetos, passa a juntá-los. Depois desse salto, aponta para algo ou alguém a pedido seu, vai querer ‘falar’ no telefone e enfiar chaves nos buracos, procurar algo que você escondeu, tentar tirar a roupa. Agora já fala “mama” e “papa” referindo-se a mãe ou pai corretamente. Levanta-se por alguns segundos, movimenta-se mais, entende o “não” e instruções simples.
  • 55 semanas (quase 13 meses): ocorre um salto de desenvolvimento muito importante, pois geralmente nessa época que o bebê começa a andar. Começa a rabiscar com giz e fala mais palavras além de “ mama” e “papa”.
  • 64 semanas (quase 15 meses): combina palavras e gestos para expressar o que precisa. Come sozinho com as mãos, esvazia recipientes e coloca tampas nos recipientes apropriados. Imita  as pessoas, explora o ambiente ao redor, inicia jogos, aponta partes do corpo quando perguntado, obedece instruções simples (por exemplo, “dá beijo”), usa colher e garfo, empurra e puxa brinquedos enquanto anda, joga bola, anda de marcha a ré.
  • 75 semanas (17 meses): já usa cerca de 6 palavras regularmente. Gosta de jogos de imitação, de esconder brinquedos. Finge dar comidinha a uma boneca, joga bola, dança. Separa brinquedos por cores, formatos e tamanhos. Explora livros sozinho e rabisca bem.

Saltos de desenvolvimento

Vale ressaltar que cada bebê tem seu ritmo próprio, e essas datas para cada salto de desenvolvimento são apenas referências. Fatores externos, como os estímulos que ele irá receber por exemplo, irão influenciar diretamente na aquisição dessas habilidades. Por isso, não se preocupe caso seu bebê apresente um pequena variação. Na dúvida, procure um profissional de confiança para orientá-los.

Deixe um comentario