Hiperlactação: o que fazer?

Vocês já ouviram falar em hiperlactação? O que fazer nesses casos? Nós vamos te ajudar!

De uma forma simples e objetiva, a hiperlactação é a produção excessiva do leite materno. Ela ocorre quando a mãe libera uma grande quantidade do hormônio chamado prolactina, que é responsável pela produção do leite. A hiperlactação pode se manifestar ainda durante a gestação, quando a mulher apresenta vazamento excessivo nos seios.

Outros sinais e sintomas comuns da hiperlactação na mãe são:

  • Dor e desconforto permanentes nas mamas
  • Enchimento das mamas muito rápido após o esvaziamento
  • Dor profunda em agulhada
  • Presença de nódulos, áreas sensíveis e firmes
  • Ductos obstruídos crônicos ou mastites
  • Dor intensa ao primeiro sinal de saída do leite
  • Reflexo de ejeção do leite exacerbado
  • Vazamento constante de leite entre as mamadas

 

Sinais e sintomas relativos ao bebê:

  • Engasgos ou tosse frequentes principalmente no começo das mamadas
  • Leite escorrendo pela boquinha durante as mamadas
  • Bebê irritado no seio, dificuldade em manter a pega durante as mamadas, largando o peito abruptamente, se jogando para trás
  • Regurgitação
  • Flatulência, como resultado da fermentação da lactose e deglutição (ato de engolir) de ar devido ao rápido fluxo de leite
  • Fezes explosivas, esverdeadas, que podem causar irritação na área das fraldas
  • Ganho de peso insatisfatório ou bom ganho de peso no início com ganho de peso mais lento posteriormente.

 

E o que fazer em casos de hiperlactação?

É importante lembrar que cada caso deve ser avaliado de forma individual, por um profissional capacitado. Cada mãe e cada bebê podem manifestar sinais e sintomas diferentes, nem todos vão apresentar todos ao mesmo tempo e por isso as condutas podem ser específicas.

De uma forma geral, a mãe que sente muitas dores pode fazer o uso de algum analgésico indicado pelo médico para aliviar. Outra medida para ajudar a amenizar o desconforto é a ordenha, mas atenção: ordenhe somente o suficiente para dar a sensação de alívio. Nunca esvazie a mama por completo!

Ofereça apenas uma mama em cada mamada. Caso o bebê queira mamar em um intervalo muito curto, ofereça a mesma mama. Antes de iniciar a amamentação, retire um pouco do leite, pois no início da mamada o reflexo de ejeção está bem exacerbado. No momento da amamentação, tente ficar mais inclinada para trás, com o bebê em posição mais em pé, evitando assim um fluxo muito grande e consequentemente os engasgos.

Lembrando que nenhuma dica que damos aqui substitui uma consulta. Em caso de dúvidas, entre em contato conosco, ou procure um profissional capacitado na sua cidade para te atender. Estamos sempre à disposição!

Deixe um comentario